Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Anti - Natal

24.12.15

 

 

O Natal não é todos os dias, é um dia, porém para muitos é um dia especial e sobretudo para as crianças, mas para outros esforçam-se para que seja mais um dia, absolutamente normal com as limitações de estar tudo fechado na noite de Natal e quase tudo no dia de Natal.

A tradição já não é o que era, de reunir a família na véspera e depois prolongar-se pelo dia de Natal até à noite. Para as famílias que se dão bem, caso raro, é bom. Mas para as famílias que se dão mal, é uma seca, estar-se por obrigação com pessoas que não se gostam ou se têm uma questão mal resolvida. O Natal muitas vezes é conflito emocional , situações angustiantes, discussões estéreis que sinceramente não valem a pena.

Para quem não liga nada ao Natal é complicado sobreviver durante esta época natalícia, na noite e dia de Natal em que está quase tudo fechado. Parece que o mundo está todo virado para um ritual  e para quem não o faz é mal visto. Esta data para mim é um castigo, todavia para a maioria das pessoas é um prazer e uma festa.

Este ano de 2015 lá tenho sobrevivido a esta época natalícia, o que tinha para comprar, pouca coisa, já o fiz há algum tempo. O consumo disparou apesar da crise. Não nos conseguimos libertar do materialismo, estamos a perder de vista, já há muito tempo, o essencial - as relações humanas.

Deveríamos cultivar as boas relações, o prazer de estar e do encontro. A crise de valores e da própria consciência imperam. Nesta altura de Natal, muitos de nós relacionam-se com os outros, não por que querem ou lhes apetece, mas sim, porque sentem a obrigação de o fazer.

Eu não o vou fazer, nem me sinto mal com essa atitude e, não me importo de ser julgado por isso. Não sou hipócrita, não aceito o ter que ser para ficar bem visto. Há gente que não me dou nem me quero dar e longe da vista para não me incomodar. Há gente que só vê-la me incómoda, outra, tenho simpatia, afecto, cordialidade e até cumplicidade.

Sendo fiel aos meus princípios de ligar sempre às pessoas e contactá-las ao longo do ano, nesta data vou procurar ter um comportamento normal e não vou andar a enviar desenfreadamente SMS , e-mails ou telefonar a toda a gente.

Os de sempre, podem contar comigo, os outros, desculpem mas não sou hipócrita. Esta data para mim é um martírio e parece que nunca mais passa. Nunca mais é dia 26 de Dezembro.

Não é preciso ser Natal, para me lembrar dos meus verdadeiros amigos, contam-se pelos dedos de uma mão.

JJ

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

 

Fui apanhado de surpresa com a saída de José Mourinho. Chegou a mútuo acordo com Abramovich para sair, não foi despedido ou demitido, como muitos querem fazer crer.

A Premier League já não vai ter tanto interesse. Há um interesse acrescido pela sua forma de ser e de estar. Mourinho, para além, de fazer falta ao campeonato inglês, faz falta ao futebol mundial. A maneira particular de dirigir, a forma como joga a sua equipa, as suas declarações, as diabruras e decisões já fazem parte do futebol, só peca, por vezes, pelos seus excessos de linguagem e algumas atitudes irascíveis.

Nunca tinha visto tal coisa no futebol. Um treinador a perder constantemente e os adeptos a gritarem o seu nome. O normal seria assobiarem-no, ditos desagradáveis e duros.
Mourinho é um "case study". Saiu e os adeptos continuam a adorá-lo e culpam os jogadores pelo sucedido: t-shirts, cartazes, calendários, tarjas, tudo serviu para relembrar o treinador português. Frases como: " with you José" ou "José is our special one" ou "special genius, legend", ou" one of Us", etc.. É indiscritível e incomum.

É impressionante como os adeptos do Chelsea têm em conta José Mourinho e não esquecem o que ele lhes deu. Bonito!

O comunicado emitido pelo Chelsea foi parco em palavras , em que realça as qualidades e os êxitos de José Mourinho. Houve o cuidado de não o hostilizar e poder sair com dignidade.

Não conheço nenhum treinador que sai de um clube e consiga logo motivar o interesse de uns tantos. Mesmo perdendo consegue sair por cima. É o seu estilo e a sua personalidade. A forma como actuou em determinadas circunstâncias, o falar demais expondo-se e a perda do controlo do balneário. Esse balneário, em que fez muita falta Drogba, tornou o ambiente asfixiante e insuportável.

Não havia outro remédio e foi bom ter saído, mas os jogadores têm uma grande quota-parte no que se passou. Não desaprenderam de jogar e envelheceram tão depressa! Ainda há meses sagraram-se campeões na Premier League.

Mourinho tem a mania que controla tudo mas o ser humano por vezes não é controlável. Há jogadores que não gostam de ser chamados à atenção, ouvir raspanetes e ficar no banco.

Agora livre, todas as especulações são habituais. O seu futuro pode passar por: Inglaterra no Manchester United (o Times diz que, ao contrário do que sucedeu em 2007, quando ele deixou o Chelsea pela primeira vez, Mourinho não tem desta vez uma cláusula no contrato que o impede de assinar por outro clube da Premier League); por Espanha no Real Madrid em que Florentino Pérez o aprecia; por Itália onde já foi tão feliz.

Um currículo impressionante, em que venceu sempre troféus por onde passou: Portugal, Itália, Espanha, Inglaterra. Mas esse palmarés, de um dos melhores treinadores do Mundo, não foi suficiente para se manter no Chelsea. Um treinador, no futebol é sempre o elo mais fraco e a sua função é muito frágil e depende de resultados.

Com os seus pergaminhos, vários clubes estão à espera e agradecem que esteja livre e pronto a recomeçar.

JJ

Autoria e outros dados (tags, etc)

comentários

comentários

Mensagens



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


calendário

Dezembro 2015

D S T Q Q S S
12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031