Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



 

Não tenho visto nenhum debate, mas ontem estava a ver o telejornal e preocupado com o mau tempo e com possíveis cheias. Assisti, a partes, do debate Marcelo Rebelo de Sousa com Sampaio da Nóvoa

Marcelo Rebelo de Sousa ontem mostrou que em frente-a-frente não se sente tão à vontade como quando está sozinho. Ele adora ser o centro de tudo: do país, das televisões, dos portugueses. Todavia, há gente que lhe disputa o centro das atenções e que também pensa e sabe falar.

Sampaio da Nóvoa foi mais incisivo e acutilante e Marcelo Rebelo de Sousa que no seu subconsciente pensa que já tem a vitória garantida e, que só falta que lhe estendam a red carpet. Ficou à nora e começou a pulsar.

Tem que começar a pensar que cada dia que passa perde votos. A sua vitória não está garantida. A sua auréola de vencedor antecipado, neste debate desvaneceu-se. Quem brilhou foi um professor mas não o prof. Marcelo, sim o prof. Sampaio.

Marcelo não pode pensar que os outros candidatos o aceitam tal como é. Isso é para uma boa parte dos portugueses, onde entrou pelas suas casas, anos e anos-a-fio. Tem debilidades e idiossincrasias, que apontadas o tornam vulnerável.

 Sempre disse que Marcelo ao falar como candidato perde votos. Uma coisa é falar como comentador, outra como candidato em que tenta mas não consegue ser tão consensual. Apesar de estar a fazer uma campanha muito inteligente e demarcando-se de excesso de partidarismo. O que penso é demonstrado pelas sondagens em que está a perder gás.

Marcelo tem a vantagem de ser muito conhecido, mas o handicap de ter todos contra si.

Marcelo pode vencer, mas a margem está mais estreita...

Marcelo Rebelo de Sousa um homem muito inteligente, escorreito, sagaz, com uma capacidade de análise notável e uma figura incontornável da política portuguesa. Um verdadeiro “senador” da nossa democracia, sendo uma reserva da República que agora se pode tornar efectiva, mas falta o dia 24 de Janeiro.

 

JJ 

Autoria e outros dados (tags, etc)

 

 

Jorge Jesus é um treinador que arrisca e consegue mexer com um plantel. Neste jogo com o Porto mostrou credenciais para ser um candidato ao título nacional. Depois desta vitória sobre o Porto a classificação dos três rivais ficou assim ordenada: 1- Sporting - 38; 2-Porto - 36; 3-Benfica - 34. Mas, esta quarta-feira, com a vitória sobre o V. Setúbal (6-0) e o empate do Porto com o Rio Ave (1-1) a classificação alterou-se: 1-Sporting -41; 2-Benfica - 37; 3- Porto - 37. A Liga portuguesa está muito bem, equilibrada e com um Sporting a surpreender pela positiva.

Jorge Jesus conseguiu incutir uma mentalidade ganhadora, fazer acreditar num plantel jovem e com muitos portugueses. Não nos podemos esquecer que Jorge Jesus foi muito caro mas os melhores jogadores no dérbi com o Porto: Slimani custou 300 mil euros e Bryan Ruiz veio a custo zero. Todavia o custo de Jorge Jesus já está rentabilizado em emoção, estádio de Alvalade sempre cheio e acreditar que é possível.

Jorge Jesus com muito menos recursos tem apostado em jogadores de formação no Sporting: Rui Patrício, Matheus Pereira, Gelson Martins, William Carvalho, Adrien Silva e João Mário. Foi desta formação que saíram grandes jogadores como Futre, Luís Figo, Quaresma, Ronaldo, Simão Sabrosa, Miguel Veloso, etc.

Essa filosofia de apostar em jogadores da casa mais a mentalidade ganhadora de Jorge Jesus, o empenho no jogo transfigurou o Sporting tornando-o um ganhador. Jorge Jesus tem estado mais contido e sereno o que ajuda ao equilíbrio no seu plantel. As coisas têm-lhe saído bem mas Jorge Jesus tem feito por isso. Não restam dúvidas que é dos melhores treinadores portugueses e conseguiu uma auréola muito semelhante a José Mourinho e André Villas- Boas quando treinaram equipas portuguesas. Quando o Sporting joga desperta interesse e está-se atento ao que se passa. Isso deve-se a Jorge Jesus. Ninguém fica actualmente indiferente ao Sporting. Tenho a sensação que este é o ano do Sporting.

Ao contrário, o Porto parece em agonia e o seu treinador Lopetegui, sempre com ar zangado e a berrar com os jogadores. Estando há tanto tempo em Portugal podia fazer um esforço para falar português, como fazem muitos jogadores e treinadores portugueses em Espanha que falam fluentemente espanhol.

Mas o problema não advém disso, mas na dificuldade de ter empatia com os jogadores e com os adeptos. Porventura nem tem empatia com ele próprio. Se fosse um profissional a sério tinha-se demitido, e não, parecer agarrado ao lugar. O antigo jogador do Porto, António Sousa afirmou: "com Lopetegui o FC Porto não vai ganhar nada”. Se calhar tem razão, mas Pinto da Costa não decide sobre pressão, o melhor é os Super- Dragões não contestarem. No Porto qualquer treinador arrisca-se a ser campeão, mas Lopetegui arrisca-se a ser dos piores treinadores que passaram pelo Porto. O ano passado não ganhou nada e este ano já foi eliminado da Liga dos Campeões e está em terceiro no campeonato.

A Pinto da Costa não chega assistir aos treinos, depois da derrota contra o Sporting deveria ter demitido o treinador. Todavia, ao longo dos anos, o Porto habituou-me a funcionar em serviços mínimos e a não gastar dinheiro, muito menos com indemnizações.

JJ

*escrevi este artigo antes de Lopetegui ter rescindido.

Autoria e outros dados (tags, etc)

comentários

comentários

Mensagens



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


calendário

Janeiro 2016

D S T Q Q S S
12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31