Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



O Clube dos Pensadores (CdP) vai realizar o seu segundo debate depois das férias grandes. Joaquim Jorge convidou Pedro Abrunhosa, Manuel Serrão e Juca Magalhães para estarem presentes dia 13 de Novembro (terça-feira), pelas 21h30 no Hotel Holiday Inn em Gaia.

O tema escolhido: o Norte e Porto, a sua afirmação e potencialidades nas diversas áreas: música, desporto, televisão, entre outras.

Devemos continuar com as nossas lamúrias e queixume em relação a Lisboa e o Poder Central ou reivindicar um estatuto de igualdade perante Lisboa?

Devemos deixar de falar de Lisboa não lhe dando importância excessiva, porventura, fazer como Barcelona que não fala de Madrid, afirma-se e segue o seu caminho ignorando a capital de Espanha. Temos que deixar de viver o estigma de ser a 2.ª cidade do país, se não houver outra maneira, um dia teremos que nos tornar independentes.

Porto é uma cidade com uma identidade muito própria, os portuenses são gente com personalidade, mau feitio e com vontade inquebrantável que têm figuras ímpares como um cientista de renome mundial Sobrinho Simões, dois arquitectos  Álvaro Siza e Souto Moura, premiados com  Pritzker, era portuense umas das maiores violoncelistas do Mundo - Guilhermina Suggia, tivemos um dos mais conceituados cineastas do Mundo - Manoel de Oliveira e temos o presidente do clube desportivo com mais títulos no Mundo - Pinto da Costa!

O Norte precisa de uma verdadeira descentralização e numa 2.ªfase a almejada regionalização, em que não haja duplicação de poderes e isso não fique mais caro ao erário público. Está prevista a regionalização em Portugal Continental, na Constituição da República Portuguesa, desde 1976, após a revolução de 25 de Abril de 1974, porém, esta reforma tem vindo a ser sucessivamente adiada, pelos vários governos ao longo dos anos. Duas propostas foram apresentadas aos eleitores portugueses: a primeira sobre se se deveriam implementar a regionalização em Portugal; a segunda, sobre se caso fosse aprovada a regionalização, se concordavam com a região em que votavam. Ambas as propostas foram rejeitadas por larga margem.

Mesmo assim em Portugal há um forte sentimento regionalista, principalmente do Norte e da cidade do Porto que se sentem discriminados em relação à região de Lisboa. Isto porque temos verificado que os governos centrais têm desinvestido nas várias regiões do país e canalizado os recursos para a zona de Lisboa.

Os portugueses podem ser chamados a pronunciar-se directamente, a título vinculativo, através de referendo, por decisão do Presidente da República, mediante proposta da Assembleia da República ou do Governo. Está na hora de apresentar um novo referendo com a proposta de 5 regiões: Norte, Centro, Lisboa e Vale do Tejo, Alentejo e Algarve.

O CdP, neste ciclo de debates, já teve presente: Mário Nogueira, líder da Fenprof; António Saraiva, líder da CIP; Pedro Duarte, do PSD; Paula Teixeira da Cruz, ex-ministra da Justiça; Jaime Nogueira Pinto, politólogo; José Ramos-Horta, prémio Nobel da Paz; António Capucho, ex-PSD; Mariana Mortágua, deputada do BE.

 

 Joaquim Jorge

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

comentários

comentários

Mensagens




Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


calendário

Novembro 2018

D S T Q Q S S
123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930